“Quando a Vida Acontece, Renasce.” 


 

Usando apenas 10 palavras, descreve-te a ti mesma.

Mulher. Humanidade. Inteireza. Entrega. Doçura. Força. Alma. Humildade. Aprendiz. Curiosa.

O que é a intimidade para ti?

É profundidade, é o que está para além dos véus, a nudez da alma com tudo o que ela É.

O que dirias ao amor:

Reencontro-te no meu centro e contigo apenas Sou. Partilho-te com o outro e com a Humanidade. Eu e Tu somos Um Todo que abraça tudo o que existe. Expando-me e brilho contigo.

Qual é o teu maior desafio, aquele que te tem acompanhado ao longo do tempo?

A vulnerabilidade de me mostrar, de brilhar, de me afirmar, de mostrar a minha verdadeira força.

Onde encontras o desfrute?

Nos prazeres da vida, do corpo. Num cheiro, num sabor, num olhar, num toque. Cheirar uma flor de Jasmim, saborear uma boa refeição acompanhada por um bom copo de vinho sem pressas, uma boa conversa, a presença de um olhar, um toque firme e doce. Vivenciar o momento presente com entrega, por inteiro, desfrutando.

Onde está a chave?

Na Alma.

O que me faz sentir que vale a pena é…

O Amor. É a partilha. É a Família. É quando sou tocada pela beleza da humanidade. É quando me apaixono pela Vida e me deixo ser guiada.

Não controlar é…

É confiar sem ver, é dar a mão ao medo e com coragem continuar a caminhar. É ter fé. É acreditar. É aceitar o que há e o que vem a cada momento. É muitas vezes o surpreender-me. É viver com o corpo todo. É o render-me e o entregar-me, confiando.

Qual é a coisa com que mais te distrais na tua vida?

Não há uma coisa especifica, mas é tudo aquilo que me leva a entrar no meu mundo e me leva a desfrutar. Pode ser ler algo, escrever algo, pode ser ouvir música, ver um filme, ver uma peça de teatro, caminhar na natureza, cozinhar, viajar, conhecer lugares e pessoas novas, estar no “nada”… Tudo o que me dá prazer e em que não dou pelas horas passar.

O que disseste que nunca farias, e acabaste por fazê-lo?

Ui… Tantas coisas 🙂

É preciso transformar o mundo. Por onde começas?

Por mim, pelo meu trabalho pessoal, pelo meu crescimento e evolução pessoal, no silêncio e no anonimato. Quando faço por mim, faço por ti, faço por todos, tudo está interligado, nada está separado.

As palavras pelas quais eu gostaria de viver são

Alma e humanidade. Que a alma me guie sempre e que eu nunca perca a (minha) humanidade.

 
 

 

 

 

ENTREVISTA A SILVIA DIAS
TUTORA/FORMADORA ÁREA DE TERAPIA