“Sê a mudança que queres ver no mundo.”

Mahatma Gandhi


Usando apenas 10 palavras, descreve-te a ti mesma.

Persistente, Positiva, Honesta, Enérgica, Alegre/humor, Competente, Organizada, Empática, Humilde, Verdadeira/Transparente.

O que te inspira?

O sorriso do meu filho, o som do mar das ondas a bater na areia, um pôr de sol numa tarde de verão, o cheiro a chuva e terra molhada, a natureza no geral. Música. A beleza e a perfeição dos alimentos e do que brota na terra.

Qual seria a tua vida alternativa?

Provavelmente a viver no e do campo. Algo trabalhoso, árduo, mas recompensador e livre. Ou a fazer voluntariado aqui ou qualquer parte do mundo onde fosse necessária.

Qual o teu sonho agora?

A nível macro continuo a sonhar com um mundo melhor e que é possível mudar o mundo – um dia e uma pessoa de cada vez! Sonho com um mundo em que existe amor, confiança e respeito mútuo entre todas as pessoas e nações.
A nível pessoal sonho há algum tempo com uma mudança de casa, com jardim, horta e alguns animais (galinhas, cães); sonho ainda com viagens pelo mundo e com a possibilidade de conhecer outras culturas, cheiros, sabores e formas de viver.

Onde encontras o desfrute?

Na família, num bom livro, numa refeição em família onde estamos todos reunidos à mesa. Numa aula de yoga ou pilates, em que estou só ali, comigo. Num bom banho e lençóis lavados. Num banho de mar. Num pôr do sol num dia de verão. Numa lareira acesa e a ver o lume crepitar. Numa chávena de chá…tantas e pequenas coisas.
Quando me detenho a olhar para a natureza (frutos, árvores, animais) e desfruto por saber que tudo foi “construído” de forma perfeita!

De que é que não nos podemos esquecer na vida?

Que tudo é efémero e que a morte é inevitável  e por isso a vida tem de ser vivida com amor, por nós e pelos outros. Que cada minuto é uma bênção. De sermos gratos por tudo (pessoas, coisas/objectos) o que temos. E que não somos nada sem o outro.

O meu coração expande-se quando…

Abraço o meu filho; quando sinto o poder e o conforto do abraço de alguém.

Quando me sinto verdadeiramente abençoada pelo que sou e tenho.

Uma vida simples é…

A minha!

Que talento gostarias de ter e o que farias com ele?

Por vir de uma família de oleiros e não ter qualquer tipo de competência artística com as mãos (neste campo são verdadeiros 2 pés esquerdos), gostaria de ter aprendido a modelar o barro e perpetuar os Bonecos de Estremoz, tal como a minha família paterna sempre o fez. Adorava saber pintar também e, apesar de não ser algo a que me tenha proposto, para aprender nunca é tarde!

Diz-nos 5 coisas que te façam sorrir…

A vida, no geral. Outros risos. Cócegas. Sincronicidades da vida. Na verdade, sorrio por tudo e por nada!

Como defines o sucesso e como é que irás saber que o conseguiste?

Vejo o sucesso como o atingir de metas pessoais e profissionais e nesse sentido sinto que tenho sucesso em ambas as esferas. Pequenos objectivos fazem-nos movimentar e querer chegar sempre mais longe. Sucesso é um conceito subjectivo, mas sei que atinjo o sucesso quando de alguma forma “toco” a vida de alguém. Todos as experiências profissionais por onde passei permitiram-me ser uma pessoa de sucesso, pois sei que fiz sempre a diferença nas muitas vidas das pessoas com quem contactei.

Escreve uma lista de 3 questões para as quais necessitas de resposta urgente…

Porque o Covid não se vai embora?
Porque o Covid não se vai embora?
Porque o Covid não se vai embora
Mais a sério…
Onde raio deixei o meu telemóvel?
Seremos pessoas melhores depois desta crise?
Se a inteligência do Homem é tão magnificente porque não convergimos todos para o BEM?

 
 

 

 

ENTREVISTA A ANA CID
GESTORA DE FORMAÇÃO | COORDENADORA TÉCNICA-PEDAGÓGICA DA EDT